Together | A Bruxa Está Solta, Camaradas

Um comentário:
Olá, povinho bonito! Eis que eu volto com um post muito bacana do Together para vocês, com uma temática que eu gosto muito, que é Halloween, aquele famigerado dia das bruxas. Antes de começar o post, eu queria compartilhar uma ideia que eu tive para comemorar a data nesse ano: uma maratona daquelas de filme de terror na semana do dia 31. Porque assim, eu adoro esse gênero, comecei a aproveitá-lo melhor esse ano e vou tentar estabelecer esse ritual. Vai ter uma listinha com subgêneros, do tipo terror comédia, filme de zumbi, filme antigo, filme thriller, filme do new french extremity (entendam como sangue à rodo e tramas perturbadoras), terror psicológico, gore e filme brasileiro. Acho que, esse ano, nessa parte de filmes brasileiros, vou fazer uma maratona especial dos filmes do José Mojica Marins, o dito cujo "Zé do Caixão", e recomendo muito que deem uma olhada nos filmes dele, porque mesmo com uma tecnologia nada favorável pra época dos seus filmes, o Zé construiu enredos realmente assustadores, a exemplo do primeiro filme dele, o "À Meia Noite Levarei Sua Alma". Quem não gosta de assistir mas quer saber mais, vou deixar um vídeo aqui (www) de um dos meus canais favoritos de terror sobre o filme, mas já avisando: o vídeo tem spoiler, ok? Sem mais delongas, vamos ao post.

K-Pop | A Odisséia da Lives Kapopeira

Um comentário:
Olá leitores do meu coração! Sejam bem-vindos a esse post musical, farofento e perebento que eu, Lives, achei uma boa ideia proceder. O estopim para eu ter a ideia desse post foi, em primeiro lugar, constatar que boa parte da blogosfera atual escuta e curte a música pop coreana, o que é bem legal; e, indo mais além, perceber o quão engrandecedora foi minha experiência com esse estilo, contrariando todo aquele argumento de "ah, mas é só um bando de china que dança igualzinho e canta fino" que muitas pessoas meteram na cabeça sem nem ter escutado muito do gênero. Muito embora eu tenha passado praticamente dois anos sem escutar K-Pop, muito do que aprendi com as músicas e os grupos levei comigo, seja em questão da linguagem coreana, a qual estranhei bastante, a princípio, ou seja pelos fatores históricos, que me fizeram compreender muito mais o quão complexa são as relações e intrigas entre os países asiáticos. Sendo assim, se preparem para ler a incrível, chocante e intrigante odisséia de Lives no mundo dos cabelos de cuia!